Parada obrigatória para quem vai a Machu Picchu, Cusco é uma cidade tranquila e ao mesmo tempo agitada.

Repleta de turistas, sua Plaza de Armas tem um colorido especial com a arquitetura dos prédios a sua volta, o chafariz e os bancos da praça e a bandeira flamando.

Veja Também: 4 situações que pedem um Seguro Viagem

Ali encontram-se lojas e restaurantes, além de outros serviços. À noite, está presente também algumas discotecas (com músicas para todos os gostos), que completam o encanto do local.

Veja Também: Seguro viagem: porque você não pode embarcar sem ele!

Plaza de Armas de Cusco, Peru
Plaza de Armas de Cusco, Peru. Fonte: http://pasaporteymochila.com/de-concierto-en-cusco/

Guia de Viagem para Cusco, Águas Calientes e Machu Picchu

A Catedral de Cusco, localizada nessa praça, é um lugar bacana para iniciar o passeio e começar a conhecer a história e a cultura do Peru e dos incas. Ela está aberta à visitação todos os dias das 10h às 18h e sua entrada custa 25 nuevos soles ou, aproximadamente, 22 reais.

Veja Também: Seus direitos em caso de atrasos ou cancelamentos de voos

Plaza de Armas em Cusco, Peru
Plaza de Armas em Cusco, Peru. Fonte: http://peru.com/viajes/conozca-peru/cusco-recibio-visita-mas-26-millones-turistas-noticia-314054

No Museo de Santo Domingo Qorikancha é possível conhecer mais da História do local. Ele está aberto de segunda a sábado das 8h30 às 17h30 e aos domingos das 14h às 17h e seu ingresso custa 10 nuevos soles ou 9 reais, aproximadamente (segundo o site: http://www.qorikancha.org/InformacionVisitantes.htm).

Veja Também: Natal: dunas e praias exuberantes

O lugar onde abriga hoje o museu foi anteriormente a morada do inca conquistador da região, Manko Quapac, e anos mais tarde, construiu-se no local o templo principal do estado inca. Mas, com a conquista da região pelos espanhóis, o espaço foi doado à ordem dominicana e passou a ser um convento.

Veja Também: Jericoacoara: Uma das praias mais lindas do mundo

Vale a pena caminhar pelas ruas de paralelepípedos da cidade e sentir a presença do passado, seja dos colonizadores espanhóis, seja dos incas. Aliás, Cusco, para os incas, era o centro do mundo – el ombligo del mundo, como é conhecida ali – e está rodeada de restos arqueológicos, desta forma, abriga muitas riquezas pré-colombianas: o Valle Sagrado, localizado nos arredores de Cusco é um grande exemplo. Ali é possível fazer caminhadas e andar a cavalo, entre outros esportes.

Veja Também: Top 5 Lugares para Visitar na Colômbia

O Vale Sagrado é composto por pequenos vilarejos, que mantém as tradições de seus antepassados, entre eles estão Pisac, Calca, Yúcay, Urubamba e Ollantaytambo. E é neste último que está a estação de trem que levará o turista a Machu Picchu Pueblo.

Veja Também: Mangue Seco: A pérola da Bahia

Ruínas do sítio arqueológico de Ollantaytambo no Peru
Ruínas do sítio arqueológico de Ollantaytambo. Fonte: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ollantaytambo_granaries_Stevage.jpg

Machu Picchu Pueblo, mais conhecido como Águas Calientes é a porta de entrada a Machu Picchu, é o local onde se encontram os hotéis mais próximos às ruínas, e é de lá também que os ônibus saem rumo a elas.

Veja Também: Cancún: o pulmão da Riviera Maia

Na cidadezinha, geralmente os turistas passam apenas a noite, saindo bem cedo ao sítio arqueológico. Mas quem quiser e tiver mais tempo, pode passear pelas ruas, gastar um tempo nas lojas de artesanato e desfrutar de um restaurante.

Veja Também: Bombinhas: um paraíso para visitar até embaixo d’agua

A cidade é pequena e não tem muitos atrativos, mas há a possibilidade de fazer banhos termais. As fontes de águas termais estão a 800 metros do centro, na Avenida Pachacútec. O valor do ingresso é 10 nuevos soles e o espaço funciona das 5h às 20h.

Veja Também: Quer relaxar? Fortaleza é o lugar!

Machu Picchu é a ruína inca mais conhecida do mundo, principal destino turístico do Peru, está localizada nos Andes e é cercada de mistérios. Pode-se chegar por lá por trem (saindo de Ollantaytambo e chegando até Machu Picchu Pueblo) e ônibus (de Machu Picchu Pueblo até o sítio arqueológico) ou fazendo o Caminho Inca (caminhada com duração de três ou quatro dias).

Veja Também: Buenos Aires no verão: como é? O que fazer?

Machu Picchu, Peru
Machu Picchu, Peru. Fonte: http://wikitravel.org/pt/Ficheiro:Machu_picchu.jpg

Os três lugares citados estão em altas altitudes: a parte mais baixa é Machu Picchu Pueblo (ou Águas Calientes, como é conhecido) a 2040 metros de altitudes, seguida por Machu Picchu (a 2430 metros de altitude) e Cusco, com elevação de 3400 metros.

Veja Também: As 10 melhores praias do Rio de Janeiro

Quando ir

A melhor época para visitá-los é nos meses de abril, maio ou outubro, pois a temperatura é mais agradável – no inverno, o frio é mais intenso e, o verão é caracterizado pelo período das chuvas.

Veja Também: Disney: Guia de Viagem

Dicas

A “soroche” ou o “mal de altitude” pode aparecer nessas regiões. É caracterizado por sinais de cansaço do corpo, podendo haver tonturas, náuseas e dores de cabeça. Isso acontece devido ao ar rarefeito das grandes altitudes e, consequentemente, à diminuição da oxigenação do cérebro. Aconselha-se, nesses casos, tomar chá de coca ou mascar as folhas dessa planta. Geralmente, o corpo vai se acostumando e em pouco tempo os sintomas desaparecem.