A Ilha de Madagascar é o destino sonhado de muitos turistas do mundo inteiro.

Por lá encontramos cenários belíssimos, espécies animais e vegetais únicas e um povo cheio de crença.

Estima-se que cerca de 75% das espécies de animais e plantas do local são exclusivas dessa fantástica ilha, o que, por si só, já vale seu tempo e dinheiro.

Localizada na costa de Moçambique, a Ilha de Madagascar é muito rica em sua flora e fauna.

Veja: Safári na África: 10 lugares para ver animais selvagens de perto

Veja Também: 5 hotéis de selva mais incríveis na África

Essa riqueza se dá pelo fato da ilha ter se separado do continente há milhões de anos (cerca de 150 milhões), fazendo com que muitas espécies ali se concentrassem sem serem levadas para outros lugares do mundo.

Uma curiosidade que ajuda na flora e fauna exclusiva é o fato de que, em termos históricos, a ilha é povoada por humanos há pouquíssimo tempo (cerca de apenas dois mil anos).

ilha de Madagascar na África post
Fonte: KosovaPress

História da Ilha de Madagascar

Em relação ao povo que hoje lá habita, trata-se de descendentes indonésios, apesar de que a cultura que lá pode ser encontrada também conta com a participação de africanos e árabes que passaram na região.

Estima-se que os árabes passaram pela Ilha de Madagascar por volta dos séculos VII a IX, e contribuíram levando o islamismos e palavras que foram incorporadas à língua local posteriormente.

Veja Também: Conheça Zanzibar, uma luxuosa ilha com custo mais acessível do que você imagina

A Ilha de Madagascar estava na rota de comércio marítimo e, por este motivo, os habitantes tiveram contato com os europeus.

Apesar de já conhecida de mercadores, o italiano Marco Polo foi o primeiro a relatar a existência dessa fantástica ilha.

No final do século XVII os franceses chegaram à região e, no final do século XIX, declararam a Ilha de Madagascar uma colônia da França.

Veja Também: Conheça a cachoeira submersa da Ilha Maurício

A religião predominante na ilha é o cristianismo, porém, isso não afasta as crenças do povo em seus ancestrais, envolvendo a crença em magias, por exemplo.

Os malgaxes, como são chamados os habitantes da Ilha de Madagascar, costumam colocar os corpos dos membros falecidos de suas famílias em cavernas ou penhascos.

Segundo a crença local, esta prática os mantém perto de seus ancestrais.

Uma tradição local é a Famadihana, que consiste em uma celebração onde os falecidos são retirados de suas tumbas para participarem da festividade com muita dança e fotos.

Após, são colocados de volta em seus lugares.

Esta festividade constitui uma representação da forte ligação existente entre os mortos e as pessoas vivas.

A oratória é uma arte muito difundida na Ilha de Madagascar, existindo concursos de oradores.

São três as categorias de oradores: poesia, conhecida como haiteny, provérbios, conhecido como ohabolana e discurso, conhecido como kabary.

Veja Também: Como tirar o passaporte brasileiro passo a passo

A fauna e flora local são um espetáculo à parte pela exclusividade de muitas espécies, como já dissemos.

O lêmure deve ser um dos animais que mais já ouvimos falar e, sim, ele é encontrado somente na Ilha de Madagascar.

O que o torna muito conhecido é o filme de animação ‘Madagascar’ onde um dos personagens é o Rei Julien, um lêmure muito divertido.

Veja Também: 7 coisas que você precisa saber antes de passar pela alfândega

O filme também mencionou outra espécie exclusiva, o Aie-Aie (na animação, era o personagem Maurice).

Ambos têm seu lugar na crença local.

Os malgaxes consideram o lêmure uma espécie de protetor e, não raro, como parentes dos seres humanos.

Este fato é percebido nas histórias folclóricas.

O Aie-Aie costuma ser relacionado a histórias de maldições e mortes, o que faz com que estejam em extinção na ilha, já que terminam por ser mortos pelos malgaxes devido a essas crenças.

Veja Também: Airbnb é seguro? Como funciona e como evitar dores de cabeça?

O clima da Ilha de Madagascar também é bem peculiar, sendo duas muito bem definidas: uma delas quente (e úmida), e outra é seca.

Vale a pena um pulo nas aldeias para andar pelos mercados.

São ricos em cores e variedades, uma visita quase que obrigatória para conhecer mais da cultura local e suas variações.

Veja Também: 6 dicas para você conseguir as melhores taxas de câmbio e economizar muito na viagem

A Ilha de Madagascar é repleta de baobás, uma árvore de tronco muito grosso e alto, sendo que suas folhas e frutos são muito nutritivos.

Os parques da ilha também atraem muitos viajantes em busca de cenários espetaculares e aventuras.

Como exemplo temos o Tsingy de Bemaraha, considerado um patrimônio da Unesco, com uma flora e fauna únicos, além de magníficas formações geológicas.

Veja Também: 5 dicas para você vencer o medo de viajar de avião

Para os amantes de praia, a Ilha de Madagascar possui paisagens litorâneas paradisíacas, comparadas ao Caribe devido aos tons das águas.

A Ilha de Madagascar é um excelente destino para quem procura mais do que beleza natural, mas uma cultura rica e única em um pedacinho do mundo.

Os malgaxes são desconectados de tecnologia e levam a vida de forma pacífica, até com certa morosidade.

Não há motivos para stress, correria do dia a dia e rapidez nas coisas quando se mora em um local com tanta beleza a ser apreciada.

Este estilo de vida é algo interessante a ser vivenciado por turistas que por lá passam a fim de não tornar a viagem à maravilhosa Ilha de Madagascar apenas mais um clique no celular.

Veja Também: 5 dicas para você conversar com alguém que não fala sua língua

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.